Siga-nos em

Buscas no site

Ação Judicial Pede Ao Google Que Retire O Telegram Da Loja De Aplicativos, Uma Semana Depois Que A Apple Foi Atacada Da Mesma Forma
Ação Judicial Pede Ao Google Que Retire O Telegram Da Loja De Aplicativos, Uma Semana Depois Que A Apple Foi Atacada Da Mesma Forma
Ação Judicial Pede Ao Google Que Retire O Telegram Da Loja De Aplicativos, Uma Semana Depois Que A Apple Foi Atacada Da Mesma Forma

MUNDO

Ação judicial pede ao Google que retire o Telegram da loja de aplicativos

O processo alega que o aplicativo popular é usado para espalhar violência, extremismo e anti-semitismo.

Um tribunal da Califórnia foi solicitado a forçar o Google a remover o Telegram de sua Play Store, sob alegações de que o aplicativo de mensagens é usado para incitar a violência. O desafio legal reflete um processo semelhante movido contra a Apple.

Em ação movida por Marc Ginsberg, ex-embaixador dos Estados Unidos no Marrocos, o processo alega que o aplicativo popular é usado para espalhar violência, extremismo e anti-semitismo. A organização sem fins lucrativos de Ginsberg, Coalition for a Safer Web (CSW), também foi listada como demandante.

A denúncia indica que o Google suspendeu Parler, um site de microblog conservador semelhante ao Twitter, de sua loja de aplicativos devido a alguns usuários expressarem apoio à violência que abalou o Capitólio em 6 de janeiro. De acordo com Ginsberg, o Telegram deveria receber o mesmo tratamento.

Propaganda. Role para continuar lendo.

“O Google não tomou nenhuma ação contra o Telegram comparável à ação que tomou contra Parler para obrigar o Telegram a melhorar suas políticas de moderação de conteúdo”, alega o processo.

Ginsberg e CSW entraram com uma queixa semelhante na semana passada contra a Apple, que, como o Google, havia tirado Parler de sua loja de aplicativos após os distúrbios na capital.

Nesse processo, os querelantes caracterizam o Telegram como “o canal de comunicação nacionalista branco / neonazista preferido, espalhando incitação anti-semita e anti-negra durante a atual onda de protestos em toda a América”. O processo afirma que o aplicativo está rapidamente se tornando um terreno fértil para o extremismo à medida que os usuários Parler “migram” para outros aplicativos.

Os desafios legais são parte da missão declarada do CWS de limitar o “acesso dos extremistas à infraestrutura da Internet” e defender a “remoção rápida de conteúdo de instrução e incitamento a extremistas e terroristas das plataformas de mídia social”.

Propaganda. Role para continuar lendo.

O Telegram viu um aumento no número de novos usuários depois que grandes empresas como Twitter, Facebook e YouTube começaram a policiar agressivamente o conteúdo em suas plataformas no início deste mês, supostamente em um esforço para reprimir o extremismo.

O aplicativo, que usa criptografia de ponta a ponta para mensagens, relatou mais de 500 milhões de usuários mensais na primeira semana de janeiro.

Embora os críticos tenham retratado o Telegram como um porto seguro para extremistas de direita, a empresa tomou medidas próprias para manter sua plataforma livre de ódio. Na semana passada, anunciou que tinha “dezenas” de canais suspensos em sua plataforma que teriam ligações com neonazistas e supremacistas brancos.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Os meios de comunicação ‘conservadores’ precisam ser degradados, diz ex-executivo do Facebook

Facebook censura cardeal mexicano por denunciar a ‘Nova Ordem Mundial’

Twitter é Processado Por dizer A Uma Vítima De Pornografia Infantil Que As Imagens Dele Aos 13 Anos De Idade Não Violavam Seus Termos De Serviço

Big Tech lança ‘Guerra ao Terror’ digital contra 74 milhões de apoiadores do Trump


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

BRASIL

Nesta sexta-feira, o jornalista Alexandre Garcia foi desligado da emissora por defender tratamento precoce contra Covid-19

BRASIL

Analista político foi demitido da CNN Brasil por defender o tratamento precoce

BRASIL

Deputado se manifestou a respeito do desligamento de Alexandre Garcia da CNN

BRASIL

Emissora decidiu rescindir o contrato do jornalista nesta sexta-feira

Anúncios