Siga-nos em

Buscas no site

Ministro Edson Fachin, Do STF
Ministro Edson Fachin, Do STF
Ministro Edson Fachin, do STF Foto: STF/SCO/Carlos Moura

BRASIL

“Bunker de R$ 51 milhões”: Fachin concede regime semiaberto a Geddel

Decisão foi tomada nesta quinta-feira

Decisão foi tomada nesta quinta-feira

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou o ex-ministro e ex-deputado federal Geddel Vieira Lima (MDB-BA) a cumprir pena em regime semiaberto no caso do bunker com R$ 51 milhões.

A decisão, tomada nesta quinta-feira (9), vem após a Segunda Turma do STF derrubar a condenação por associação criminosa imposta ao político e ao irmão dele, o também ex-deputado Lúcio Vieira Lima, no processo que envolveu a apreensão de milhões de reais em um apartamento ligado à família em Salvador. A condenação por lavagem de dinheiro, no entanto, foi mantida pelo colegiado.

Fachin considerou que a progressão de regime prisional está condicionada ao pagamento da multa fixada na condenação. A pendência no depósito já tinha levado o plenário do STF a negar, em outubro do ano passado, o relaxamento da prisão.

Propaganda. Role para continuar lendo.

– Preenchidos os requisitos subjetivo e objetivo e comprovado o recolhimento do valor definido a título de multa pena defiro a Geddel Quadros Vieira Lima a progressão ao regime semiaberto. Tendo em vista a alteração do título condenatório por ocasião do julgamento dos embargos de declaração, remetam-se ao Juízo da 2ª Vara de Execuções Penais da comarca de Salvador cópias do acórdão condenatório e da certidão de julgamento dos embargos de declaração opostos pelos apenados, para que proceda ao cálculo dos benefícios previstos na Lei n. 7.210/1984, com posterior comunicação a este Relator – escreveu o ministro.

Fachin ainda precisa decidir sobre o pedido feito no final do mês passado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) para revogar a prisão domiciliar do ex-ministro. Em julho do ano passado, Geddel foi liberado pelo então presidente do Supremo, Dias Toffoli, para cumprir pena em casa em razão da pandemia de Covid-19.

Geddel foi preso preventivamente em julho de 2017, antes mesmo de a Polícia Federal apreender aproximadamente R$ 51 milhões em malas de dinheiro no apartamento. Denunciado em dezembro de 2017, ele havia sido condenado a 14 anos e 10 meses de reclusão por organização criminosa e lavagem de dinheiro. Com a decisão da Segunda Turma que derrubou a condenação por associação criminosa, sua pena foi reduzida para 13 anos e quatro meses de prisão.

As informações são da AE

Propaganda. Role para continuar lendo.

Fachin nega habeas corpus de deputados a favor de Zé Trovão

Promotores de Brasília pedem a prisão de nove ministros do STF

Onyx chama Bolsonaro de estadista e diz que a bola está com STF e Congresso

Bolsonaro: ‘Tem coisas que não posso falar. Ou confia, ou não’


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

BRASIL

Condutor da aeronave simulou uma queda e conseguiu evitar a tentativa de resgate no Complexo de Bangu. Momento foi filmado por policiais

BRASIL

Homem cumpre pena de mais de 30 anos por cinco homicídios

BRASIL

Deputado Cezinha de Madureira também afirmou que o indicado pelo presidente Jair Bolsonaro tem "todas as qualificações necessárias" para a vaga

BRASIL

No texto, o ministro do STF justifica que houve "desvio de finalidade" do governo

Anúncios