Siga-nos em

Buscas no site

França Rejeita Impulso Para Feminizar Radicalmente A Língua Francesa Nas Escolas
França Rejeita Impulso Para Feminizar Radicalmente A Língua Francesa Nas Escolas
França Rejeita Impulso Para Feminizar Radicalmente A Língua Francesa Nas Escolas

MUNDO

França rejeita impulso para feminizar radicalmente a língua francesa nas escolas

O Ministério da Educação da França rejeitou as demandas esquerdistas de feminizar radicalmente a língua francesa nas escolas, que os apoiadores alegaram que teria promovido uma sociedade com maior inclusão de gênero.

O Ministério da Educação da França rejeitou as demandas esquerdistas de feminizar radicalmente a língua francesa nas escolas, que os apoiadores alegaram que teria promovido uma sociedade com maior inclusão de gênero.

Os esquerdistas na França têm cada vez mais como alvo as estruturas gramaticais da própria língua, com muitos adicionando o “e” feminino ao final de palavras que normalmente não o teriam. As ativistas afirmam que, ao feminilizar as palavras, estão tornando as mulheres mais “visíveis”.

A France24 explicou as mudanças gramaticais propostas pela esquerda, da seguinte forma:

Tome a palavra francesa genérica para líderes – ‘dirigentes’ – por exemplo. Para alguns, a grafia masculina sugere que geralmente são homens e torna as mulheres líderes invisíveis, porque falta um “e” feminino no final. Para os proponentes da escrita inclusiva, uma grafia com gênero mais igual é ‘dirigentes’, inserindo o ‘e’ extra, precedido por um ponto do meio, para deixar claro que os líderes podem ser de ambos os sexos.

Propaganda. Role para continuar lendo.

O Ministério da Educação rejeitou esses apelos, banindo o uso da língua modificada nas escolas, alegando que representaria uma ameaça existencial para a língua de Molière e, de fato, para a sociedade francesa como um todo.

Falando antes de uma audiência no Senado sobre o assunto na quinta-feira, a vice-ministra da Educação, Nathalie Elimas, disse que introduzir a ideologia de esquerda na estrutura da língua “é um perigo para o nosso país” e pode, em última análise, “soar o toque de morte para o uso do francês no mundo”.

A Sra. Elimas disse que mudar a forma tradicional da língua francesa tornaria a aprendizagem mais difícil, especialmente para as pessoas com dificuldades de aprendizagem.

Propaganda. Role para continuar lendo.

“Desloca as palavras, divide-as em duas”, disse ela. “Com a disseminação da escrita inclusiva, a língua inglesa – já quase hegemônica em todo o mundo – certamente, e talvez para sempre, derrotaria a língua francesa. ”

Um proponente da feminização francesa, o senador socialista Laurence Rossignol, afirmou que os oponentes da mudança da linguagem “são os mesmos ativistas que eram contra o casamento para pessoas do mesmo sexo, reprodução medicamente assistida e janelas de aborto mais longas … É a nova bandeira sob a qual reacionários estão se reunindo. ”

Embora o Ministério da Educação tenha rejeitado o “e” preferido pelas feministas do currículo escolar, ele aceitou que alguns cargos, como “presidenta” em vez de “presidente”, poderiam ser apropriados para ocupantes do sexo feminino em tais profissões.

O autor de um guia em francês sobre escrita inclusiva, Raphael Haddad, (o sobrenome não nega!) celebrou a mudança como uma vitória de sua causa, dizendo: “O que está acontecendo com a língua francesa é a mesma coisa que aconteceu nos Estados Unidos, com o ‘presidente’ substituído por ‘presidente’, (a) ‘bombeiro’ por ‘bombeira’. ”

Propaganda. Role para continuar lendo.

Em contraste com os esquerdistas franceses, aqueles nos Estados Unidos têm pressionado mais recentemente contra a linguagem de gênero. Isso incluiu tentativas de adotar a frase “Latinx” em vez do latino ou latina de gênero ao se referir a pessoas hispânicas.

O novo jargão surpreendeu muitos hispânicos na América, já que apenas 3% já usaram o termo Latinx, de acordo com a Pew Research. As descobertas continuaram dizendo que “alguns sentiram que o Latinx é um ‘anglicismo’ desnecessário da língua espanhola, ou ‘não representativo da grande comunidade latina’”.

Tem havido um retrocesso crescente na França contra a ideologia esquerdista, que muitos veem como uma importação da academia dos Estados Unidos, embora em última análise tenha suas raízes nas tradições marxistas europeias, incluindo de pensadores franceses radicais como Jacques Derrida e Michel Foucault.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Em janeiro, a Breitbart London relatou que alunos de uma das melhores escolas da França, a Sciences Po University, levantaram preocupações sobre a ideologia esquerdista que se espalhava em seu campus por meio de obras de figuras da esquerda americana, como Ibrahim X. Kendi e do autor de Fragilidade Branca, Robin D’Angelo.

Mais recentemente, um grupo de ex-oficiais militares franceses assinou uma carta em abril alertando sobre o potencial de uma guerra civil na França em meio ao crescimento do Islã radical e à proliferação de ideologias de extrema esquerda.

“Hoje, alguns falam sobre racismo, indigenismo e teorias descoloniais. Mas, por meio desses termos, é uma guerra racial que esses partidários odiosos e fanáticos desejam. Eles desprezam nosso país, suas tradições, sua cultura e querem vê-lo se dissolver, arrancando seu passado e sua história ”, dizia a carta.

Fonte: breitbart

Propaganda. Role para continuar lendo.

A França está à beira da guerra civil, diz estudioso constitucional

Quase metade dos franceses apoia a intervenção militar para restaurar a ordem

França relata cinco casos de miocardite em pessoas vacinadas com Pfizer

Por que os negros não esquiam? Um professor culpa o racismo sistêmico


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

BRASIL

Cerimônia de entrega ocorreu menos de 10 dias depois da invasão e depredação da Aprosoja

BRASIL

Anderson Campos se referiu à apresentadora como "assediadora de menores"

BRASIL

Médico afirmou que "a dependência de drogas é um problema médico, não de polícia"

MUNDO

Personagem participa de manifestações junto ao seu parceiro

Anúncios