Siga-nos em

Buscas no site

Guedes Critica Negacionistas Que Ignoram Recuperação Econômica
Guedes Critica Negacionistas Que Ignoram Recuperação Econômica
Guedes Critica Negacionistas Que Ignoram Recuperação Econômica

BRASIL

Guedes critica negacionistas que ignoram recuperação econômica

Declaração do ministro ocorreu durante evento da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

Declaração do ministro ocorreu durante evento da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

Em live com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que há “negacionistas” na Economia, os quais não reconhecem a recuperação da Economia brasileira. Durante o evento, o ministro criticou a imprensa e disse que a maioria das narrativas contra ele é falsa.

Guedes disse que erra, assim como o presidente da República, Jair Bolsonaro, mas que atacar o presidente todo dia é atacar a instituição da Presidência, que precisa ser respeitada.

– Há muita guerra política, antecipação da eleição do ano que vem. Tem muito barulho. Há críticas de negacionismo na Saúde, mas também há negacionismo com dados da Economia – comentou Guedes.

Ele ainda afirmou que há editoriais de grandes jornais que não reconhecem a melhora econômica.

Propaganda. Role para continuar lendo.

– Tem editorial de jornal tradicional criando fake news. Veja a que ponto chegou a paixão política – destacou Guedes.

Segundo o ministro, a democracia brasileira está mais vibrante do que nunca.

– As instituições brasileiras estão de parabéns. Estamos sendo testados e aprovados, mas os negacionistas dizem que a Economia acabou. Não fomos nós que fizemos desigualdade, mas a maior queda da miséria em 40 anos com [o] auxílio – ressaltou.

COMIDA PARA OS POBRES

Guedes também negou que tenha dito para dar resto de comida aos pobres. Ele argumentou que estava falando sobre segurança alimentar e que há sobras limpas, no fim do dia, em restaurantes que não deveriam ser desperdiçadas.

– Com enorme ignorância ou escandalosa má-fé, vem um editorial, diz que estou acusando a classe média de estar jogando comida fora e [de] não dar comida aos pobres. Não é o jornal, mas é um editor infeliz, assustado, perdido e desinformado – comentou o ministro da Economia.

SISTEMA S E TREINAMENTO DE JOVENS

Guedes afirmou ainda que o governo vai arcar este ano com o custo do programa de treinamento de jovens, mas que está “perguntando” ao Sistema S se gostaria contribuir a partir do ano que vem, já que tem um recurso constitucional da contribuição sobre a folha de pagamento.

Propaganda. Role para continuar lendo.

– Nós vamos bancar tudo isso este ano. Enquanto estudamos, juntos, como podemos usar essa contribuição para a folha e como vocês podem ajudar também. Se não der, nós pagamos. Temos os próximos seis meses para construir isso juntos – disse Guedes na live com a Fiesp.

O ministro repetiu que não gosta da contribuição sobre a folha de pagamento e criticou o uso indevido dos recursos, sem citar nomes.

– E é um recurso de uma fonte [de] que eu não gosto, que é o encargo sobre a folha, que é um inimigo do emprego. Mas já que isto está lá, vamos usar de forma benéfica, que é com o treinamento de jovens, e menos com a sede. Menos Brasília e mais Brasil. Vamos gastar menos no jogo de influência parlamentar, comprando sede no Rio de Janeiro para a diretoria passar o fim de semana. Vamos gastar menos, digamos assim, prestigiando às vezes o serviço de publicidade, para ficar bem na opinião pública, agradar colunista. Vamos gastar menos nessa direção e mais no treinamento dos jovens – destacou Guedes.

Dentro dos programas de Bônus de Inclusão Produtiva (BIP) e Bônus de Incentivo à Qualificação (BIQ), Guedes disse que o governo quer atender 2 milhões de jovens, com uma bolsa de R$ 250 a R$ 300 para eles serem treinados dentro de uma empresa, que pagaria a outra metade do benefício.

– Não é emprego, é treinamento, senão já vão colocar encargo. Os encargos trabalhistas são uma arma de destruição de massa para empregos – apontou.

O ministro participou de uma live com Josué Gomes e Rafael Cervone, candidatos, em chapa única, à presidência e à primeira vice-presidência da Fiesp, respectivamente.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Gomes e Cervone são apoiados pelo atual presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que fez, em seu discurso inicial, campanha para os dois. O caráter eleitoral também ficou claro nas primeiras declarações de Gomes e de Cervone, que convocaram os industriais paulistas à votação que ocorrerá no dia 5 de julho.

As informações são da agência AE


Bolsonaro expõe aglomeração de Renan Calheiros e filho em AL

Guedes: Querem impeachment desde o primeiro dia

Guedes fala em ‘uso político’ da pandemia contra o governo

Guedes: Mandetta recebeu R$ 5 bilhões para início da pandemia


Propaganda. Role para continuar lendo.
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

BRASIL

Presidentes da Câmara e do Senado falaram sobre a iniciativa do presidente de apresentar proposta sobre exclusão de conteúdo nas redes sociais

BRASIL

Alvo de Ciro Nogueira é o governador petista do Piauí, que durante meses anunciou o imunizante

BRASIL

Homem é acusado de já ter transmitido Covid-19 à criança

BRASIL

O objetivo é ampliar o acesso à rede pública federal de ensino

Anúncios