Siga-nos em

Buscas no site

Moraes Articulou Se Por União De Partidos Contra O Voto Auditável
Moraes Articulou Se Por União De Partidos Contra O Voto Auditável
Moraes Articulou Se Por União De Partidos Contra O Voto Auditável

BRASIL

Moraes articulou-se por união de partidos contra o voto auditável

O juiz do STF não quer que a questão chegue ao STF, informa jornal

O juiz do STF não quer que a questão chegue ao STF, informa jornal

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes atuou nos bastidores para consolidar a união de 11 partidos contra o voto auditável, informou nesta segunda-feira, 28, o jornal Folha de S.Paulo. A ideia é não provocar um novo confronto entre a Corte e o presidente Jair Bolsonaro. Conforme noticiou a Revista Oeste, siglas se uniram com a finalidade de barrar no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que permite a auditoria das urnas. Atualmente, a PEC tramita na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara.

A articulação de Moraes iniciou-se na segunda-feira 21, segundo a publicação. Durante um jantar, Moraes pediu a Bruno Araujo (PSDB), Paulinho da Força (Solidariedade), Baleia Rossi (MDB) e Orlando Silva (PCdoB) que a questão não chegasse ao STF. No podcast Supremo na Semana, o magistrado atacou a impressão do comprovante do voto. Segundo ele, a medida não contribui para a democracia. “Até agora, não apresentaram uma única fraude”, afirmou, no programa, ao mencionar que a discussão é uma oportunidade para o Tribunal Superior Eleitoral.

As informações são da Revista Oeste

Propaganda. Role para continuar lendo.

‘Tapetão por tapetão, sou mais o meu’, diz Bolsonaro em recado ao STF

J.R. Guzzo: De voto impresso a cloroquina e motos, tudo que Bolsonaro defende vira obra do Satanás

STF decide que CPI não deve investigar repasses aos estados

Bolsonaro explica ao STF onde Eduardo Leite “enfiou a grana”


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

BRASIL

Pastor disse para o senador aguardar "a resposta do povo cristão do Amapá nas próximas eleições"

BRASIL

Mendonça falou sobre imparcialidade do juiz

BRASIL

Pastor afirmou que a resposta dos evangélicos virá nas eleições de 2022

BRASIL

Primeira-dama chorou durante evento que teve participação de líderes religiosos e políticos

Anúncios