Siga-nos em

Buscas no site

Pesquisador Sugere Campanha De Propaganda Chinesa Agressiva Para Exagerar A Gravidade Do Coronavírus
Pesquisador Sugere Campanha De Propaganda Chinesa Agressiva Para Exagerar A Gravidade Do Coronavírus
Pesquisador Sugere Campanha De Propaganda Chinesa Agressiva Para Exagerar A Gravidade Do Coronavírus

Artigos

Pesquisador sugere campanha de propaganda chinesa agressiva para exagerar a gravidade do coronavírus

O pesquisador sugere que o governo chinês lançou uma campanha de propaganda agressiva para exagerar a gravidade do coronavírus e forçar o mundo a entrar em Lockdown

Plano orquestrado pelo Partido Comunista Chinês para Quebrar a economia ocidental

O pesquisador e advogado Michael P. Senger sugere que o governo chinês lançou uma campanha de propaganda agressiva para exagerar a gravidade do coronavírus, a fim de forçar o resto do mundo a um bloqueio draconiano que serviria para beneficiar Pequim.

Em um artigo para a Tablet Magazine, Senger detalha como, no final de janeiro, “a histeria internacional do COVID-19 começou” com uma série de vídeos suspeitos postados em sites de mídia social mostrando pessoas na China desmaiando repentinamente nas ruas, incluindo um caso em que um homem detido esticou o braço para amortecer a queda, sugerindo que o colapso foi encenado.

Depois de dezenas de milhões de pessoas serem confinadas em suas casas durante um dos bloqueios mais brutalmente impostos da história, Senger observa como em fevereiro o PCCh “relatou um declínio exponencial nos casos de coronavírus, até 19 de março, quando anunciaram que seu bloqueio havia eliminado os casos domésticos inteiramente.”

A China registrou oficialmente apenas 4.634 mortes por coronavírus, apesar de ter uma população quase cinco vezes maior que a dos Estados Unidos, onde o número atual de mortes é de mais de 205.000.

OMS e China: uma parceria de “sucesso”

A Organização Mundial da Saúde e outros especialistas científicos, em seguida, usaram como modelo de combate ao vírus os bloqueios impostos como resposta na China, o que levou praticamente todos os outros países do planeta a espelhar sua abordagem.

No entanto, Senger argumenta que a histeria inicial sobre COVID e bloqueio que se seguiu poderia ter sido uma campanha de propaganda chinesa cuidadosamente orquestrada para enganar seus concorrentes hegemônicos para destruir suas próprias economias em resposta a um vírus com uma taxa de mortalidade relativamente baixa.

O pesquisador documenta como exércitos de contas de bot chineses no Twitter foram fundamentais na promoção de bloqueios antecipados em países como a Itália, enquanto bombardeava figuras políticas que se recusavam a ordenar bloqueios rígidos, como o governador de Dakota do Sul, Kristi Noem, com críticas e abusos.

Ele também destaca como os órgãos da mídia estatal chinesa atacaram violentamente a abordagem de “imunidade de rebanho”, que foi inicialmente considerada, mas depois rejeitada por vários líderes ocidentais, como uma violação dos “direitos humanos”.

A Suécia, que adotou a abordagem de imunidade coletiva ao se recusar a impor um bloqueio e se saiu economicamente melhor do que qualquer outro país europeu, também foi alvo dos bots, assim como o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, acusado de se envolver em “genocídio” considerando inicialmente a abordagem de imunidade de rebanho.

A conclusão de Senger explora por que a China enfatizou agressivamente a necessidade de bloqueios globais.

“A explicação mais benigna possível para a campanha do Partido comunista chinês em favor dos bloqueios globais é que o partido promoveu agressivamente a mesma mentira internacionalmente e internamente – que os bloqueios funcionaram.

Para os membros do partido, quando Wuhan foi bloqueado, provavelmente nem era preciso dizer que o bloqueio iria “eliminar” o coronavírus; se Xi queria que fosse verdade, então deveria ser. Esta é a patologia totalitária que George Orwell chamou de “duplo pensamento”. Mas o fato de os regimes autoritários sempre mentirem não lhes dá o direito de espalhar mentiras mortais para o resto do mundo, especialmente por meios clandestinos. ”

“E então há a possibilidade de que, ao fechar o mundo, Xi Jinping, que saltou na hierarquia do partido, usou a lição de estudiosos chineses de como dominar o mundo, use essas técnicas e vislumbre um futuro socialista com a China no centro. Ele sabia exatamente o que estava fazendo. ”

A teoria de Senger tem peso quando se considera como a China agora está de volta ao “normal” por meses, enquanto os países ocidentais, ainda em pânico com a histeria do COVID, continuam a bloquear seus cidadãos e paralisar suas próprias economias, apesar de hospitalizações e mortes devido ao coronavírus ter estagnado em países como o Reino Unido.


Evidências que a quarentena não funcionou

A catástrofe da quarentena

Mais perguntas sobre os números mentirosos do COVID-19 na China

Enquanto Dória fala em 5 Milhões de vacinas em outubro: China quer conter expectativas sobre as vacinas em teste


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Útimas

MUNDO

Ditadura Chinesa tenta calar deputados brasileiros a respeito do assunto.

Artigos

s autoridades chinesas emitiram as advertências aos representantes do governo dos EUA repetidamente e por meio de vários canais, disseram as pessoas, inclusive por...

ECONOMIA

Fundador da Microsoft e ativista climático Bill Gates: paralisações econômicas "não são nem de longe suficientes"

Artigos

“É assustador e opressor”, disse Arif Husain, economista-chefe do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas, em uma entrevista.

Artigos

Este é o novo normal. Você deve permanecer isolado das pessoas por muitos anos, até que estejamos na segunda geração de vacinas.

Você pode gostar

MUNDO

Ditadura Chinesa tenta calar deputados brasileiros a respeito do assunto.

Artigos

s autoridades chinesas emitiram as advertências aos representantes do governo dos EUA repetidamente e por meio de vários canais, disseram as pessoas, inclusive por...

ECONOMIA

Fundador da Microsoft e ativista climático Bill Gates: paralisações econômicas "não são nem de longe suficientes"

Artigos

“É assustador e opressor”, disse Arif Husain, economista-chefe do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas, em uma entrevista.