Siga-nos em

Buscas no site

Centenas De Milhares De Aves Migratórias 'caindo Do Céu' No Sudoeste
Centenas De Milhares De Aves Migratórias 'caindo Do Céu' No Sudoeste
Centenas De Milhares De Aves Migratórias 'caindo Do Céu' No Sudoeste

Artigos

Venezuela: não há solução para a escassez de gasolina no país socialista

Socialismo destruiu a produção de petróleo de um dos maiores produtores de petróleo do mundo

Socialismo destruiu a produção de petróleo de um dos maiores produtores de petróleo do mundo

José Guerra, membro da Assembleia Nacional da Venezuela, lamentou em uma entrevista destacada pelo jornal venezuelano Dólar Today na terça-feira que “não existe solução” para a escassez crônica de gasolina na Venezuela porque a má gestão socialista destruiu as refinarias do país.

A Venezuela tem experimentado escassez crônica de gasolina por meses, resultando em grandes multidões se reunindo para lutar pelo pouco combustível disponível nas grandes cidades, apesar dos rígidos bloqueios causado pelo coronavírus chinês. A violência nas multidões não é incomum, em algumas ocasiões levando a assassinatos.

A escassez – somada ao fato de os venezuelanos não terem acesso adequado a água, eletricidade, alimentos, cuidados de saúde e outras necessidades básicas – são particularmente impressionantes, visto que a Venezuela era o lar das maiores reservas de petróleo conhecidas do mundo até a descoberta de petróleo em 2018 no Texas. A Venezuela é um país membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

Propaganda. Role para continuar lendo.

O petróleo bruto da Venezuela é de qualidade notoriamente pesada, necessitando de refino significativo e não pode abastecer o mercado de gasolina sem ser totalmente processado.

O regime do ditador socialista Nicolás Maduro culpou repetidamente o presidente Donald Trump pela escassez de gasolina do país, alegando que as sanções contra a Petróleos de Venezuela (PDVSA), a empresa estatal de petróleo do país, é o que impede seu regime de refinar adequadamente o petróleo. Em entrevista ao Vivo Play na segunda-feira, Guerra, um economista, refutou a ideia de que as sanções estão desempenhando um papel significativo na escassez de gasolina, culpando o fracasso de Maduro em administrar adequadamente a PDVSA.

“Não há solução neste momento para este problema da escassez e não há solução porque o problema é que as refinarias venezuelanas foram destruídas”, afirmou Guerra.

Guerra culpou Maduro e seu antecessor, Hugo Chávez, por substituir a equipe central da PDVSA e substituí-la por comparsas socialistas nos últimos 20 anos, deixando equipamentos de refino altamente sofisticados nas mãos de pessoas que não tinham experiência em usá-los. O resultado, afirmou ele, tem sido a total falta de manutenção do equipamento e, em alguns casos, a destruição total deles, a ponto de a Venezuela não ter capacidade significativa para refinar qualquer petróleo.

Propaganda. Role para continuar lendo.

As quatro maiores refinarias de petróleo do país “literalmente não existem”, afirmou Guerra.

“Falta de manutenção, falta de investimento … Essas refinarias eram capazes de produzir diariamente cerca de 1,3 milhão de barris de petróleo, 4 milhões de litros, mais do que suficiente para atender a demanda interna e exportar o excedente”, explica Guerra. “[As refinarias foram] destruídas sob o governo de Hugo Chávez e, agora, sob Maduro, e o resultado foi que a Venezuela passou a importar gasolina de vários países – Itália, Espanha e agora Irã. ”

Parceria com Irã

O Irã – ele próprio lutando para vender seu petróleo sob onerosas sanções americanas, desencadeadas pelo investimento de Teerã em atividades terroristas no Oriente Médio e na América Latina – assumiu a Venezuela como cliente nos últimos meses, resultando em muito alarde na mídia estatal venezuelana. As vendas violam as sanções e as forças americanas interceptaram vários carregamentos de combustível de Teerã para Caracas. Maduro saudou os poucos petroleiros que chegaram à Venezuela como a solução para os problemas de abastecimento de gasolina e a prova de que o socialismo pode sobreviver ao que ele repetidamente chamou de “guerra econômica” travada por Washington.

Guerra observou que a simples inconveniência da viagem de Teerã a Caracas torna o petróleo iraniano uma solução ruim de longo prazo para o problema da escassez de gasolina na Venezuela.

“Para se ter uma ideia, um navio que deixa o Golfo Pérsico … navega 130.000 quilômetros [80.700 milhas] para chegar à Venezuela”, observou Guerra. “Essa não é a solução para o problema da escassez de gasolina. ”

“A causa da escassez não é o bloqueio, não é a escassez – é a destruição dos sistemas de refinaria”, concluiu Guerra.

Queda na produção de petróleo

Em julho, a Venezuela estava refinando cerca de 422.400 barris de petróleo bruto por dia, de acordo com a Bloomberg News, uma queda de 32 por cento em relação a maio – os números menos produtivos desde os anos 1940. Embora as refinarias não produzam óleo refinado suficiente, os venezuelanos também enfrentam sinais evidentes de incompetência do governo em relação ao manuseio do petróleo bruto. Um dos exemplos mais dramáticos disso ocorreu na cidade de Cabimas neste mês, onde os moradores filmaram suas ruas inundadas com óleo cru tóxico depois que apenas algumas horas de chuva pareciam estourar um oleoduto. Observadores internacionais também notaram que as praias caribenhas da Venezuela estão enfrentando um derramamento de óleo cada vez mais perigoso, cuja origem permanece um mistério.

Propaganda. Role para continuar lendo.

No passado, Guerra observou que a incompetência no nível técnico da PDVSA era parte do problema, mas funcionários corruptos que sugavam lucros da empresa estatal também contribuíram para isso. Os venezuelanos desfrutam dos preços do petróleo subsidiados pelo governo há décadas, o que tornou a gasolina quase gratuita. Maduro mudou o sistema em resposta à escassez neste ano, aumentando o preço de cerca de 100 bolívares por tanque (US $ 0,0005) para 5.000 bolívares por litro (US $ 0,01). Supondo que 40 litros seja cerca de um tanque cheio de gasolina, uma pessoa que ganha 800.000 bolívares (US $ 2,11) por mês com salário mínimo pode esperar pagar 200.000 bolívares para encher seus tanques – ou um quarto de seu salário mensal.

O aumento dos preços, em maio, argumentou Guerra, resultaria em propinas aos funcionários públicos. “O sistema é feito para a corrupção”, afirmou.


Comentários: onde a escória socialista instala sua ideologia nojenta e destruidora ela acaba com tudo. Conseguiram destruir a produção de um dos maiores produtores de petróleo do mundo e acabaram com uma das economias mais prósperas da América Latina. A Argentina deve se preparar para pagar o preço de uma escolha que deve leva-lá ao colapso financeiro e social. Aguardemos…

Propaganda. Role para continuar lendo.

ONU Acusa Ditador venezuelano De Ser Ditador

Venezuela: espião americano capturado acusado de suposta conspiração terrorista

Maduro, da Venezuela, elogia assassino em massa comunista Mao Zedong

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

BRASIL

Petista tenta se aproximar de evangélicos dizendo que assistiu a cultos

BRASIL

Ex-governador de São Paulo teve encontro com representantes de centrais sindicais e ouviu pedido por chapa com petista

BRASIL

Pastor falou sobre a tentativa do ex-presidente de se aproximar dos evangélicos

BRASIL

Oração do atleta do Palmeiras durante a final da Libertadores foi alvo de críticas

Anúncios