Gina Carano Era Uma Das Estrelas Da Série The Mandalorian Gina Carano Era Uma Das Estrelas Da Série The Mandalorian

Atriz demitida por suas opiniões conservadoras abre processo contra a Disney

Elon Musk apoia Gina Carano após demissão por posicionamento político

A atriz Gina Carano, estrela de “The Mandalorian”, uma das séries de maior sucesso da Disney, processou a empresa e a Lucasfilm por discriminação e demissão injusta. O motivo? As publicações da atriz no X, que costumava ser o Twitter, contendo opiniões de direita, acabaram gerando desconforto para os executivos das empresas.

Segundo o The Hollywood Reporter, a performer iniciou uma ação legal na terça-feira, 6, em um tribunal californiano, demandando sua recontratação. Ajudando a atriz em sua luta está o próprio , proprietário do X, que está cobrindo as despesas do processo legal.

O empresário fez uma promessa de apoio financeiro a todos os usuários que afirmam terem sido discriminados por causa de suas publicações no X, similar à situação da artista que foi demitida pela Disney.

“Como um sinal do compromisso da X Corp com a liberdade de expressão, temos o orgulho de fornecer apoio financeiro para o processo de Gina Carano, capacitando-a a buscar a reivindicação de seus direitos de liberdade de expressão no X e a capacidade de trabalhar sem intimidação, assédio ou discriminação”, disse Joe Benarroch, chefe de operações comerciais da rede social.

Disney demitiu atriz por piadas e declarações políticas

A estrela de The Mandalorian foi demitida após alegar que ser membro do era semelhante a ser judeu durante o Holocausto. A declaração foi recebida negativamente e criticada por seu tom inadequado. Além disso, ela já fez piadas sobre o uso de máscaras durante o pico da pandemia de covid-19 e insinuou que houve fraude eleitoral na vitória de em 2020.

Gina Carano em cena da série The Mandalorian | Foto: Reprodução/Disney

Os representantes legais de Gina Carano afirmaram que a Disney e a Lucasfilm “perseguiram e difamaram Carano por se recusar a conformar-se com seus pontos de vista sobre questões relacionadas ao Black Lives Matter, pronomes preferidos e alegações refutadas de interferência eleitoral”.

Os defensores ainda salientaram que as duas companhias ignoraram os comentários depreciativos de colegas de elenco masculinos que fizeram “piadas ofensivas sobre políticos republicanos”. As informações são da Revista Oeste.


Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *