Siga-nos em

Buscas no site

Luis Miranda Pode Ser Preso Por Falsa Acusação Contra Bolsonaro
Luis Miranda Pode Ser Preso Por Falsa Acusação Contra Bolsonaro
Luis Miranda Pode Ser Preso Por Falsa Acusação Contra Bolsonaro

BRASIL

Luis Miranda pode ser preso por falsa acusação contra Bolsonaro

Pedido de investigação foi enviado ao STF

Pedido de investigação foi enviado ao STF

Nesta terça-feira (20), a Polícia Federal solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o deputado Luis Miranda seja investigado por possível denunciação caluniosa contra o presidente Jair Bolsonaro. Caso a investigação condene o parlamentar, Miranda pode pegar de 2 a 8 anos de reclusão.

O pedido foi feito inicialmente pelo ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, ao Ministério da Justiça. Por sua vez, o ministro da Justiça, Anderson Torres, acatou a solicitação de Ramos e a encaminhou ao Supremo.

Miranda acusa Bolsonaro de ter prevaricado no caso Covaxin. Ele e o irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, afirmam ter se reunido com Bolsonaro em março deste ano para comunicar supostas irregularidades no contrato de compra de vacinas do laboratório indiano Bharat Biotech, mas dizem que o presidente não tomou nenhuma providência, configurando prevaricação.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Girão diz que CPI da Pandemia atua como ‘tribunal da inquisição’

Vídeo: Marcos Rogério acusa CPI de dar palco a trambiqueiro

Flávio leva Renan ao Conselho de Ética por ‘abusos’ na CPI

Objetivo da CPI é fazer o governo ‘sangrar’, diz Marcos Rogério


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

BRASIL

Homem é acusado de já ter transmitido Covid-19 à criança

BRASIL

O número de vacinados que terminariam como vítimas da doença é de (0,02% do total) de 72,8 milhões de pessoas vacinadas contra covid.

BRASIL

Deputada esclareceu que não postou contra vacina, e sim contra obrigatoriedade da imunização

BRASIL

Operação cumpriu mandados em GO e SP. Suspeita é de desvios relacionados com Organização Social que administra hospitais voltados à Covid

Anúncios