Siga-nos em

Buscas no site

Natália Abdala E Amanda Keury Foram Barradas Na Porta De Escola
Natália Abdala E Amanda Keury Foram Barradas Na Porta De Escola
Natália Abdala e Amanda Keury foram barradas na porta de escola — Foto: Reprodução/Redes Sociais

BRASIL

Candidatas são barradas em prova de concurso da Petrobras por não terem tomado vacina contra Covid

Analista viajou cerca de 500 km para fazer a prova em Palmas. Mulher conta que exigência do passaporte só foi publicada após o período de inscrição e pagamento.

Analista viajou cerca de 500 km para fazer a prova em Palmas. Mulher conta que exigência do passaporte só foi publicada após o período de inscrição e pagamento.

Duas candidatas foram impedidas de realizar a prova do concurso da Petrobras em Palmas, neste domingo (20), por não apresentarem comprovante de vacinação contra Covid-19. O fato foi registrado na escola municipal Almirante Tamandaré, na região sul da cidade. Uma das candidatas é a analista Amanda Keury da Silva Santos, que saiu de Luiz Eduardo Magalhães (BA) para fazer a avaliação na capital do Tocantins. As informações são do G1.

“Eu me inscrevi no concurso, me desloquei 500 km para realizar prova, gastei com viagem, estadia e alimentação. No primeiro edital lançado não constava nada sobre cartão de vacinação e por isso realizei o pagamento da inscrição em janeiro. No local da prova fui informada que só poderia fazer a prova quem tivesse a carteira de vacinação”, contou.

A exigência do comprovante de vacina contra Covid-19 foi estabelecida em um edital complementar publicado no dia 11 de fevereiro, após o fim do prazo para pagamento da taxa de inscrição, para os candidatos que fossem fazer a prova em Palmas.

Ao ser questionado, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) – responsável pelo concurso – enviou o trecho do edital que informa sobre a exigência da vacinação. Segundo o documento, quem não apresentasse o comprovante não poderia realizar as provas.

Propaganda. Role para continuar lendo.

“Eu creio que foi um erro não terem divulgado essa exigência antes do período de pagamento da inscrição. Pelo que eu vi o edital que exige foi publicado em fevereiro, sendo que o pagamento foi finalizado em janeiro […] Não me vacinei, foi uma opção minha. Acredito eu que é um direito meu não me vacinar”, afirmou.

A segunda candidata barrada foi a analista de sistemas Natália Abdala Rosa. Ela vive em Palmas desde 2019 e relatou que as duas foram obrigadas a deixar o local de prova.

“Pedi um documento assinado explicando o motivo de não poder fazer a prova. Me mandaram para a sala da coordenação, o pessoal não quis assinar nenhum documento […] Eu tentei ligar para polícia, mas colocaram a gente para fora. Não tomei a vacina, mas ainda sou um cidadão livre. É um direito de escolha, isso é discriminação”, disse.

Passaporte da vacina

Em Palmas, o passaporte da vacina é exigido para entrada e permanência em todos os órgãos e entidades públicas municipais. A regra se aplica tanto aos servidores como aos moradores que procurarem os locais para serviços.


Ator demitido por não se vacinar contra a Covid processa a Disney

FDA sabia dos riscos cardíacos de vacinas de mRNA, diz artigo

Bill Gates vê ômicron mais eficaz que a vacina

Deputado comunista propõe obrigatoriedade de passaporte vacinal nas eleições


Propaganda. Role para continuar lendo.

Veja também

1 Comment

1 Comment

  1. J.Renato

    21/02/2022 em 10:27 pm

    Agora quero ver o acionista majoritário dar a fundamentação legal….

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

MUNDO

Juiz determinou suspensão até que se conheçam os contratos entre o governo e a farmacêutica Pfizer e a "composição das substâncias" contidas no medicamento

BRASIL

Imunizante contra a Covid-19 foi o primeiro disponibilizado no Brasil

BRASIL

Alunos e funcionários serão obrigados a usar máscaras em locais fechados

BRASIL

Adesivo colado em documento dará acesso às dependências do campus

Anúncios