Lindbergh Lindbergh

Lindbergh ameaça manifestantes pró-democracia: ‘Vão para a Papuda’

Deputado do PT disse que apenas ‘cúmplices do golpe’ participariam do protesto

No dia 21 de fevereiro, quatro dias antes da manifestação pela democracia, Lindbergh Farias (PT-RJ), deputado federal, utilizou a tribuna da Câmara para intimidar os protestantes. De acordo com o deputado, aqueles que participassem da manifestação na Avenida Paulista seriam detidos logo após o término do protesto.

Durante seu discurso, Lindbergh Farias afirmou que participar da manifestação seria o mesmo que adquirir um bilhete direto para o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. É lá que se encontram os detidos pelos acontecimentos de 8 de janeiro de 2023.

“Vai ser preso”, afirmou o petista, referindo-se a um parlamentar que confirmou a presença no ato pela democracia. “Vai ficar demonstrado que, quem for na passeata do dia 25, está defendendo e é cúmplice de uma tentativa de golpe.”

A resposta a Lindbergh Farias

Centenas de milhares de indivíduos se reuniram na Avenida Paulista para uma manifestação em defesa da democracia e dos direitos garantidos pela Constituição de 1988. O ex-presidente marcou presença no evento, assim como governadores, incluindo Tarcísio Gomes de Freitas (SP), Ronaldo Caiado (GO), Jorginho Mello (SC) e (MG), além do prefeito de , Ricardo Nunes. O evento contou com a participação de mais de 200 políticos.

A Polícia Militar do Estado de São Paulo não anotou nenhum evento perturbador. Não se tem notícia de placas ou faixas. As únicas bandeiras levantadas foram as do Brasil e de Israel; todos os presentes enfatizaram o suporte ao povo judeu na guerra contra os terroristas do Hamas. As críticas de Lula a Israel no cenário internacional — que resultaram em um pedido de impeachment no Congresso — foram recordadas pelos participantes.

A solicitação se baseia na Lei 1079/50, conhecida como Lei do Impeachment. O texto da constituição afirma que é crime de responsabilidade “auxiliar, por qualquer modo, nação inimiga a fazer a guerra ou a cometer hostilidade contra a República”.

A visão aérea obtida por helicópteros é surpreendente: desde 2016, quando o processo de impeachment de Rousseff estava em seu auge, o país não vivenciava uma mobilização tão intensa. A questão principal foi expressa por Bolsonaro: “Como temos um presidente sem povo?”, citando a solidão de Lula nas ruas e nas redes sociais.

Em defesa da liberdade

Bolsonaro foi quem convocou a manifestação nas mídias sociais: ele solicitou que os brasileiros escutassem, em local público, sua defesa das investigações da Polícia Federal, sob a direção do ministro Alexandre de Moraes, do Tribunal Federal (STF).

O ex-líder está sob investigação em quase dez inquéritos diferentes: conspirar para um golpe de Estado (apesar do esboço da proposta ser um artigo constitucional não acionado), falsificar um certificado de vacinação contra a Covid, revenda de joias presenteadas por líderes do Oriente, perturbação de uma baleia jubarte na costa de São Paulo, entre outros.

Bolsonaro, de fato, novamente refutou a versão de Moraes e da imprensa tradicional sobre a suposta tentativa de golpe no país – utilizando a emblemática figura do vendedor de algodão doce. Ele solicitou que o STF reconsiderasse a dosagem das penas – de 14 a 17 anos de prisão – para os indivíduos que estiveram presentes na infame tarde de 8 de janeiro do ano passado em Brasília. O Brasil precisa avançar além do dia 8 de janeiro de 2023.

O ex-presidente deixou a Paulista com o que ele queria: uma fotografia. “Essa fotografia vai rodar o mundo”, afirmou, do alto do trio elétrico. As informações são da Revista Oeste.


Veja também

  1. Antes foi líder dos cara pintadas, lutando por democracia e justiça social. Com o passar dos tempos, conquistou sua cadeira na política e daí surge a verdadeira pessoa. Novos tempos e novas ideias? Claro que não, foi apenas mais um sem caráter que se vendeu.

  2. Bolsonaro lotou Brasília e também lota as lives que faz sozinho ou acompanhado. Seja o que for, que tiver o nome
    BOLSONARO, é SUCESSO. Parabéns Bolsonaro🇧🇷🇧🇷🇧🇷

  3. Este 0 da esquerda, está se achando todo poderoso repetindo as merdas que ouve do seu dono (O Sapo Barbudo do Brisola), que o tira e o coloca, em qualquer lugar que quer, como um “severino, personagem de Agildo Ribeiro na falecida dos papagaios”.
    A pouco tempo estava aí pedindo uma boquinha em qualquer lugar, e agora quer cantar de macho, que nem lá deve ser assim.

  4. Esse desgracento, cujo codinome na planilha da propina da Odebrecht é “lindinho”, está desesperado com a situação do seu papai luladrão! O maldito não sai às ruas sem ser chamado de ladrão! Está roendo as unhas de ódio dos patriotas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *