Siga-nos em

Buscas no site

Ministro Alexandre De Moraes, Do STF
Ministro Alexandre De Moraes, Do STF
Ministro Alexandre de Moraes, do STF Foto: STF/Carlos Moura

BRASIL

Moraes sugere intervenção em discurso de candidatos nas eleições

Ministro assumirá Presidência do TSE em 16 de agosto

Ministro assumirá Presidência do TSE em 16 de agosto

Os 11 ministros do Tribunal Federal (STF) juntam-se pela primeira vez em uma obra acadêmica. Trata-se do livro Liberdades, que será lançado na próxima semana. Em sua participação, o ministro Alexandre de Moraes sugere que seja feita intervenção nos discursos dos candidatos nas eleições, a fim de resguardar o processo de desinformação.

– A liberdade de expressão, portanto, não permite a propagação de discursos de ódio e ideias contrárias à ordem constitucional e ao Estado de Direito, inclusive pelos candidatos durante o período de propaganda eleitoral, uma vez que a liberdade do eleitor depende da tranquilidade e da confiança nas instituições democráticas e no processo eleitoral – escreveu.

O jornal Folha de S.Paulo reproduziu, nesta quinta-feira (28), trechos do artigo de Moraes contidos no livro. O ministro ficou responsável por discorrer sobre a “liberdade do candidato”.

– A liberdade do voto nas eleições depende da liberdade para discutir qualquer assunto publicamente. Por isso, durante a campanha eleitoral, deve ser garantida ampla liberdade de expressão aos candidatos e, ao mesmo tempo, pleno acesso dos eleitores às informações necessárias para fazer escolhas conscientes – pontuou.

O livro dos ministros do Supremo faz parte de um projeto do Instituto e Cidadania. Alexandre de Moraes assumirá como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no próximo dia 16 de agosto.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Veja também

9 Comentários

9 Comentários

  1. J. Renato

    29/07/2022 em 11:22 pm

    Tendo em vista os livros do quais se intitula autor, temos 3 opções: ele nem leu os próprios livros, está doente ou, sob chantagem de algum grupo violento…

  2. Chico

    29/07/2022 em 9:14 pm

    É obra de comédia? Só pode pois os “autores” não têm autoridade para escrever sobre um assunto que não dominam: liberdades.

  3. Dd

    29/07/2022 em 7:20 pm

    Diante do discurso acima, fica claro que já passou da hora destes intitulados ministros saírem dos cargos.

  4. Miriam Teresinha Gambogi Pereira Vieira Rodrigues

    29/07/2022 em 6:28 pm

    Enquanto ele não destruir o Nosso Presidente,ele será cada vez mais violento,ditador, mandatário …. Imperador do Brasil, país extremamente Democrático!!!Viva o Xandinho!!!

  5. Rita Brasil

    29/07/2022 em 5:33 pm

    Temos que confiar nas urnas e não é o wue acontece. O povo brasileiro já sabe wuem é o melhor. Sabe wue as pesquisas são mentirosas. São as urnas que não são confiáveis.

  6. MARCO ANTONIO GOMES DA SILVA

    29/07/2022 em 5:32 pm

    Coincidência o capítulo do “livro” da foia ter ficado justamente para o dotô imoraes… Muita… Haja democrassia…

  7. roberto

    29/07/2022 em 5:10 pm

    Só falta isso, Bolsonaro ter que ir a público elogiar o bandido de 9 dedos.
    Nunca em local nenhum do mundo tivemos uma opressão tão grande como a que vivemos hoje .
    Acho que a partir de 07/09, irão ver quem manda no país

  8. Heloisa Rocha Lunardi

    29/07/2022 em 5:04 pm

    Esse senhor além de não ter caráter é totalmente desprovido do senso de ridículo. Ministro da Censura (da direita, é claro).

  9. Helena

    29/07/2022 em 5:00 pm

    Leia-se: somente os discursos (e todos eles!) de Bolsonaro sofrerão intervenção!
    Lul4 pode falar o que quiser pq o discurso dele é livre!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

BRASIL

O candidato ao Senado Federal foi hostilizado em feira no bairro Juvevê

BRASIL

Operador do mensalão, que convidado pela segunda vez a prestar depoimento na Câmara dos Deputados, fala da intimidade que tinha com ex-presidente

BRASIL

Caminhoneiro fez o anúncio por meio de vídeo em seu perfil do Telegram

BRASIL

Ministro diz que TSE não "errou" ao convidar militares para integrar a Comissão de Transparência das Eleições

Anúncios