Siga-nos em

Buscas no site

Estudo Identifica O Anticorpo De Resfriado Comum Que Protege Contra O COVID
Estudo Identifica O Anticorpo De Resfriado Comum Que Protege Contra O COVID
Estudo Identifica O Anticorpo De Resfriado Comum Que Protege Contra O COVID

Artigos

Resfriado pode ajudar a evitar Covid-19, diz estudo

Descoberta pode abrir caminho para a criação de uma vacina potente contra as duas doenças

Descoberta pode abrir caminho para a criação de uma vacina potente contra as duas doenças

Um estudo do Imperial College de Londres publicado na segunda-feira (10) apontou que a proteção imunológica gerada após um resfriado comum pode contribuir para evitar a infecção por Covid-19. A descoberta pode impactar positivamente o desenvolvimento de vacinas anticovid e gerar imunizantes mais potentes e eficazes contra as duas doenças.

– Ser exposto ao vírus Sars-CoV-2 nem sempre resulta em infecção, e nós queríamos entender por que isso acontece – explicou Rhia Kundu, uma das autoras do estudo e pesquisadora do Instituto Nacional do Coração e Pulmão do Imperial College London.

Segundo a pesquisa concluiu, a proteção ocorre devido a um dos mecanismos do sistema imunológico chamado células T. Essas estruturas de defesa são produzidas em altos níveis para que um paciente se recupere de um resfriado. A novidade é que ele pode ajudar também no combate à Covid-19.

A pesquisa foi iniciada em setembro de 2020 no Reino Unido, quando boa parte da população ainda não havia se vacinado contra a Covid-19. O estudo analisou 52 pessoas que moravam com alguém que foi infectado com o coronavírus.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Todos eles foram submetidos frequentemente a testes PCR e sanguíneos durante seis dias após a exposição ao vírus. E o resultado foi animador: acontece que as 26 pessoas que não foram infectadas pela Covid-19 apesar de terem sido expostas ao vírus tinham níveis mais altos de células T do que os outros 26 pacientes que acabaram contaminados.

– Nosso estudo fornece a evidência mais clara até o momento de que as células T induzidas por vírus relacionados ao resfriado comum desempenham um papel protetor contra a infecção por Sars-CoV-2 – disse Ajit Lalvani, diretor da Unidade de Pesquisa de Proteção à Saúde de Infecções Respiratórias do Imperial College London.

COMO A DESCOBERTA PODE IMPACTAR A CRIAÇÃO DE VACINAS?

As vacinas contra a Covid-19 desenvolvidas até o momento atacam diretamente a proteína spike. Essa, porém, sofre mutações com frequência, o que pode gerar variantes mais resistentes aos imunizantes, como a Ômicron.

Por outro lado, as células T atuam de forma diferente, tendo como alvo as proteínas internas do vírus, que sofrem muito menos mutação. A ideia dos cientistas, portanto, é utilizar essa abordagem para criar imunizantes com proteção mais eficaz e duradoura tanto contra o resfriado quanto a Covid-19.

Propaganda. Role para continuar lendo.

– Proteínas internas do vírus, que são atingidas pelas células T, sofrem bem menos mutações. Elas são encontradas no mesmo formato entre as várias linhagens do Sars-CoV-2, incluindo a variante Ômicron. Isso evita que os imunizantes também tenham que passar por atualizações para continuar atingindo esse alvo – explicou Lalvani.


Covid: anticorpos são produzidos mesmo em assintomáticos, diz estudo

Estudo: vacinados com Coronavac precisam de 2 reforços contra Ômicron

Ômicron: Risco de hospitalização é até 45% menor do que a Delta, diz estudo

Vacinados que contraem Covid ficam ‘superimunes’, diz estudo


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Anúncios