Siga-nos em

Buscas no site

Covid 19
Covid 19
Covid 19

MUNDO

Chanceler austríaco ameaça prender não vacinados em casa se houver aumento de casos

As pessoas na Áustria que optaram por não receber a vacina contra covid enfrentarão o bloqueio em casa se o número de hospitalizações graves por COVID-19 no país continuar a subir.

As pessoas na Áustria que optaram por não receber a vacina contra covid enfrentarão o bloqueio em casa se o número de hospitalizações graves por COVID-19 no país continuar a subir.

O chanceler austríaco, Alexander Schallenberg, anunciou na sexta-feira que se o número de pacientes com COVID-19 em unidades de terapia intensiva (UTIs) chegar a 600, as pessoas que não receberam a vacina só poderão sair de casa por motivos específicos.

Seiscentas unidades de terapia intensiva representam um terço da capacidade total na Áustria. Havia 220 pacientes com COVID-19 em UTI no momento do anúncio de Schallenberg.

“A pandemia ainda não apareceu no espelho retrovisor”, disse Schallenberg. “Estamos prestes a cair em uma pandemia de não vacinados. ”

Se o número de casos de vírus Chinês em UTIs chegar a 500, as pessoas que não receberam a vacina ou adquiriram imunidade por infecção anterior não teriam permissão para entrar em negócios como restaurantes e hotéis, anunciou Schallenberg.

Propaganda. Role para continuar lendo.

O anúncio veio depois que Schallenberg se reuniu com líderes locais para tratar de um rápido aumento nos casos de vírus do CCP. O vírus chinês é o patógeno que causa COVID-19.

A Áustria possui uma das maiores taxas de vacinação do mundo. Mais de 62 por cento de sua população está totalmente vacinada contra COVID-19, uma proporção maior do que nos Estados Unidos.

Houve 228 infecções por 100.000 pessoas na Áustria relatadas durante os últimos 7 dias, em comparação com 152 casos por 100.000 pessoas na semana anterior. O número de novos casos diários de COVID-19 tem aumentado continuamente na Áustria desde o início de julho.

Propaganda. Role para continuar lendo.

A ameaça da Áustria de um bloqueio geral parece ser uma das medidas de mitigação mais rigorosas que têm sido tentadas contra a população não vacinada. A Rússia bloqueará pessoas com mais de 60 anos por quatro meses a partir de 25 de outubro. Alguns estados da Austrália permitem que apenas pessoas vacinadas retornem ao trabalho.

A proteção que as vacinas COVID-19 fornecem contra a propagação da variante Delta para outras pessoas é relativamente pequena e diminui rapidamente ao longo de três meses, de acordo com um estudo pré-impresso inédito por cientistas no Reino Unido publicado neste mês. Doze semanas após a vacinação, as pessoas vacinadas tinham tanta probabilidade de transmitir a variante Delta quanto as não vacinadas, concluiu o estudo.

As informações são do The Epoch TIme

Propaganda. Role para continuar lendo.

Estado alemão propõe bloqueio por coronavírus para não vacinados

Moraes manda bloquear vaquinha para ato de 7 de setembro

Rússia alcança novo recorde de mortes por conta da Covid-19

Pesquisador da Covid critica o ‘teatro da higiene’ contra o vírus


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

BRASIL

Entidade pede que países acelerem vacinação e preparem sistemas de saúde

BRASIL

Fábio Faria perguntou se o governador João Doria iria multar quem estava sem máscara

BRASIL

Ministro da Saúde fez live neste domingo (28/11) no qual apontou a vacinação como a principal arma contra a nova variante do coronavírus

BRASIL

Advogado de 28 anos morreu em agosto, três dias após tomar o imunizante da AstraZeneca

Anúncios