Siga-nos em

Buscas no site

Governo Federal Pego Comprando Carne 'Fresca' De Bebês Abortados Que Poderiam Ter Sobrevivido Como Prematuros
Governo Federal Pego Comprando Carne 'Fresca' De Bebês Abortados Que Poderiam Ter Sobrevivido Como Prematuros
Governo Federal Pego Comprando Carne 'Fresca' De Bebês Abortados Que Poderiam Ter Sobrevivido Como Prematuros

Artigos

EUA: Governo Federal Pego Comprando Carne ‘Fresca’ De Bebês Abortados Que Poderiam Ter Sobrevivido Como Prematuros

Os americanos deveriam estar indignados com a participação do governo na operação de tráfico humano em larga escala que criou um mercado para a coleta de órgãos de crianças assassinadas.

Os americanos deveriam estar indignados com a participação do governo na operação de tráfico humano em larga escala que criou um mercado para a coleta de órgãos de crianças assassinadas.

Este artigo contém informações perturbadoras sobre o desmembramento humano.

Na semana passada, o grupo de responsabilidade legal Judicial Watch lançou uma bomba: um relatório de quase 600 páginas provando que o governo dos EUA tem comprado e traficado partes do corpo de bebês abortados “frescos”. Essas partes do corpo, compradas pela US Food and Drug Administration para “humanizar” camundongos e testar drogas biológicas em experimentos científicos, vieram de bebês com até 24 semanas de gestação, poucas semanas após o nascimento.

Enquanto os americanos podem estar acostumados a ouvir pessoas pró-vida batendo o fazendo advertência sobre grupos de aborto que coletam corpos de bebês e os vendem para pesquisa, (quem nunca ouviu falar do processo contra David Daleiden, que expôs a Paternidade Planejada barganhando sobre pulmões e fígados de bebês em jantares?) desta vez, o governo dos Estados Unidos era quem traficava partes de bebês.

Propaganda. Role para continuar lendo.

E-mails recentes descobertos pelo Judicial Watch entre funcionários da FDA e a Advanced Bioscience Resources (ABR) da Califórnia provam que a agência gastou dezenas de milhares de dólares comprando bebês abortados para experimentos científicos antiéticos entre 2012 e 2018. Em 2018, a administração Trump rescindiu o contrato, interrompendo a pesquisa de tecido fetal do governo devido a preocupações de que os contratos eram ilegais. O novo pedido do Judicial Watch adiciona  575 páginas de registros  ao processo existente de 2019 contra a agência.

Pegos em flagrante

Esta não é a primeira vez que a ABR  ganhou destaque, já que a empresa estava sob   investigação do Congresso por seu envolvimento de longa data no tráfico de tecidos fetais. Uma das mais antigas firmas de aquisição de tecido fetal, a empresa ganha milhões todos os anos colhendo órgãos como pulmões, fígados, olhos e cérebros de bebês abortados e revendendo-os com lucros.

E-mails entre funcionários da FDA e funcionários da ABR revelam conversas perturbadoras enquanto colaboram para comprar e vender fetos abortados. Os registros  indicam que  ABR recebeu $ 12.000 adiantado por bebê, alguns sobreviventes fora do útero, entre a idade gestacional de 16-24 semanas. A maioria das compras é de timos e fígados intactos enviados “Frescos; no gelo úmido. ”

Propaganda. Role para continuar lendo.

Com a insensibilidade de escolher um corte de carne em um açougue, um médico do FDA  solicita que as amostras de tecido sejam obtidas de um menino, pois afirmam “É fortemente preferível ter um feto masculino, se possível … [mas] sexo indeterminado ou feminino é melhor do que nenhum tecido. ”

Ainda mais chocante é um funcionário da ABR reclamando da dificuldade de identificar o sexo de bebês abortados. “Nós apenas verificamos a genitália externa e se ela não estiver lá … não temos como saber.” O fato de os técnicos serem incapazes de identificar o sexo de bebês abortados não é surpresa para aqueles familiarizados com a natureza bárbara dos procedimentos de aborto, que exigem que a equipe da clínica junte os restos mortais mutilados de bebês depois que seus membros e órgãos são dilacerados.

Como se essas ordens casuais não fossem horríveis o suficiente, mais e-mails  confirmam que o FDA comprou órgãos de bebês que foram abortados bem após 20 semanas de gestação, após o período em que um bebê geralmente consegue sobreviver fora do útero. Se nada mais, isso confirma a realidade dos abortos tardios  nos Estados Unidos, que as líderes de torcida pró-aborto negaram por décadas.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Quando um funcionário do ABR  tranquilizou  o FDA de que estavam trabalhando com médicos que realizavam abortos tardios, ele admitiu que parte do tecido estava inutilizável em um procedimento que injeta um veneno chamado  digoxina  no bebê, destruindo suas células e tecidos. Uma vez que o produto químico tenha feito seu trabalho, um bebê morto e intacto é entregue. Este método torna as amostras de tecido fetal  inutilizáveis  em experimentos; com a digoxina fora da mesa, a probabilidade  de abortos de parto parcial  serem usados ​​é assustadoramente alta.

Essas conversas devem chocar até mesmo aqueles que são pró-aborto,  muitos  dos quais acreditam em restrições significativas de termos. Os bebês neste nível de desenvolvimento possuem todas as características necessárias para sobreviver à vida fora do útero e as crianças prematuras nascidas com apenas  21 semanas  levam uma vida saudável e próspera.

Uma atrocidade contra a dignidade humana

Esses trechos horríveis são apenas uma amostra de registros que comprovam a ação judicial de 2019 Judicial Watch movida contra o HHS, que abriga o FDA. Em março deste ano, um tribunal federal ordenou que a agência divulgasse os registros retidos sobre a compra de órgãos de bebês abortados,  dizendo  que encontrou “motivos para questionar” as transações que violavam a lei federal.

Propaganda. Role para continuar lendo.

A decisão do tribunal  concluiu que o governo dos EUA comprou fígados, timos, cérebros, olhos e pulmões do segundo trimestre por centenas de dólares cada da ABR, afirmando que ABR poderia coletar “mais de $ 2.000 em um único feto que comprou … por $ 60” e “o o governo federal participou desse comércio potencialmente ilícito durante anos. ”

Os americanos deveriam estar indignados com a participação do governo na operação de tráfico humano em larga escala que criou um mercado para a coleta de órgãos de crianças assassinadas. Em nenhuma sociedade humana poderia ocorrer tal violação do corpo humano e da dignidade, em que os olhos dos bebês são “colhidos imediatamente após a morte”, os órgãos comercializados com base no sexo e na personalidade atribuída a ratos, mas não a crianças.

Até que seja exigido o contrário, nossa sociedade é cúmplice do abuso desenfreado e da mercantilização de crianças prematuras. A urgência moral é nossa para condenar essas atrocidades sancionadas pelos principais pesquisadores médicos do governo federal e lutar para detê-las. Podemos perder mais batalhas antes de vencer, mas não podemos dizer que nunca soubemos.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Fonte: thefederalist


Bolsonaro quer instituir Dia Nacional de Conscientização sobre Riscos do Aborto

O Templo Satânico processa o Texas por regulamentos que ‘interferem’ no ‘ritual de destruição’ do aborto

Templo Satânico Sorteia Aborto Gratuito para Promover a Matança de Bebês como Rituais Religiosos

Ex-funcionária da Planned Parenthood afirma que crianças trans são ‘vacas leiteiras’ para Clinicas de aborto


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

MUNDO

Será exigida imunização completa, além de teste negativo para Covid

BRASIL

Condutor da aeronave simulou uma queda e conseguiu evitar a tentativa de resgate no Complexo de Bangu. Momento foi filmado por policiais

MUNDO

Ataque matou por engano sete crianças e três adultos

MUNDO

Estado já tentou implementar a medida em maio, mas não teve sucesso

Anúncios