Siga-nos em

Buscas no site

Pacientes COVID Recuperados Têm Imunidade Mesmo Sem Anticorpos
Pacientes COVID Recuperados Têm Imunidade Mesmo Sem Anticorpos
Pacientes COVID Recuperados Têm Imunidade Mesmo Sem Anticorpos

Artigos

Pacientes recuperados da COVID-19 têm imunidade – mesmo sem anticorpos

Um novo estudo em Israel confirma que as reinfecções são extremamente raras, sugere que os testes sorológicos de anticorpos não refletem a imunidade.

Um novo estudo em Israel confirma que as reinfecções são extremamente raras, sugere que os testes sorológicos de anticorpos não refletem a imunidade.

Um novo estudo realizado com profissionais de saúde israelenses sugere que as pessoas infectadas com o coronavírus desenvolvem um alto grau de imunidade ao vírus – mesmo quando os níveis de anticorpos para COVID-19 são baixos ou mesmo inexistentes.

De acordo com um relatório da terça-feira pelo Canal 12, um artigo de pesquisa assinado pelo Dr. Tal Brosh, chefe da Unidade de Doenças Infecciosas do Hospital Assuta e membro do comitê governamental de distribuição da vacina contra o coronavírus, descobriu que as reinfecções de COVID são extremamente raras, e que os testes sorológicos amplamente disponíveis e comercialmente distribuídos para anticorpos contra o coronavírus são ineficazes para determinar se uma pessoa desenvolveu imunidade ao vírus.

“De acordo com os dados existentes hoje, os testes sorológicos para a presença de anticorpos não são uma ferramenta eficaz para avaliar se há um nível suficiente de anticorpos para oferecer imunidade contra a infecção, seja de infecção natural ou de vacinação”, diz o documento de pesquisa em parte.

“Portanto, não é recomendado que esses testes sejam usados ​​para monitorar o progresso após o recebimento da vacina, exceto como parte da pesquisa médica”.

Os autores do documento da pesquisa observaram que os estudos mostraram que os níveis de anticorpos para COVID tendem a cair significativamente nas amostras de sangue coletadas de pacientes recuperados após quatro a oito meses a partir do momento da infecção. No entanto, mesmo indivíduos sem anticorpos contra COVID tenderam a ter imunidade eficaz ao vírus.

Propaganda. Role para continuar lendo.

O estudo examinou cerca de 12.000 profissionais de saúde que foram infectados com o coronavírus e se recuperaram. Enquanto alguns dos indivíduos desenvolveram anticorpos, de acordo com os testes sorológicos, outros não. Os resultados dos testes sorológicos, no entanto, deram poucas indicações de imunidade geral, concluiu o estudo. Apesar de muitos dos indivíduos não terem anticorpos para COVID mensuráveis, as reinfecções foram consideradas extremamente raras.

“Não temos dados que indiquem que o nível de anticorpos encontrado pelos vários testes disponíveis comercialmente distingue entre as pessoas que estão imunes após a recuperação e aquelas que não estão”.

“Uma pessoa que se recuperou deve ser considerada imune, mesmo que tenha recebido testes sorológicos [anticorpos] negativos”, concluíram os autores, argumentando que os testes sorológicos deveriam ser encerrados para pacientes com coronavírus recuperados.

Este é o segundo estudo recente que descobriu que as reinfecções são raras após uma infecção natural com o coronavírus.

Um estudo com 43.044 pessoas rastreadas por até 35 semanas no Qatar descobriu que apenas 0,02% experimentaram reinfecção, sugerindo que a infecção natural cria um alto nível de imunidade por um longo período de tempo.

Propaganda. Role para continuar lendo.

As informações são do israelnationalnews


A França que já foi pioneira em vacinas agora é cética em relação às vacinas contra o coronavírus

Biden assina ordem executiva para banir o termo ‘vírus Chinês’

Médicos e residentes em Pequim rejeitam vacinas contra COVID-19 de fabricação chinesa

12.400 israelenses testam positivo para coronavírus após vacinação contra a COVID-19 da Pfizer


3 Comentários

3 Comentários

  1. Luiza Ariana Da Rocha Mota Ferraz

    16/07/2021 em 12:40 pm

    Prezado , sou de direita Conservadora, mas respeito muito as escolhas de cada um, acompanho vocês através do watsap , mas quero registrar aqui a minha preocupação com a forma com que estão tratando a vacina, acredito que abaixo de Deus as vacinas estão sim fazendo toda a diferença no número de mortes e pessoas acometidas pelo vírus, contudo não podemos jamais desestimular as pessoas quanto a vacina, ela salva vidas, está comprovado que após ser infectado a pessoa poderá desenvolver até 203 tipos de sequelas , enfim independente de tudo as vacinas sempre existiram e nenhuma nunca foi 100% perfeita, portanto vamos ter mais cuidado ao passar as informações a população , que já é tão carente de tudo e inclusive de informação de qualidade .

    Obrigado !

    • ContraFatos

      16/07/2021 em 1:13 pm

      Boa tarde, Luiza; Não somos contra as vacinas. Apenas colocamos notícias e informações que a mídia convencional não divulga. Acho que as pessoas precisam de informações justas para decidir se deve ou não tomar a vacina. Todas as publicações estão com referências. A mídia insiste que a vacina dá mais proteção que a doença. Isso é ilógico e completamente anti-cientifico. Veja esse artigo: vhttps://www.contrafatos.com.br/infeccao-natural-vs-vacinacao-o-que-da-mais-protecao/

      • Miguel Palmeiras

        20/07/2021 em 11:39 am

        Agradeço, a toda equipe pelas reportagens. Estou muito satisfeito por ter um meio da mídia imparcial e com conteúdo sem manipulação. Me considero uma pessoa informada com as informações aqui colocadas. Parabéns.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

MUNDO

Levantamento foi feito pela OMC (Organização Mundial do Comércio)

BRASIL

Medida entrará em vigor em 27 de dezembro

BRASIL

Texto ganhou apoio suficiente, mas empacou nas mãos dos senadores

BRASIL

Para Sarah Gilbert, experiência com a Covid-19 deve ser usado como "preparação"

Anúncios