Siga-nos em

Buscas no site

Desembargadores Federais Messod Azulay Neto E Paulo Sérgio Domingues Fotos Rosinei CoutinhoAscom CJF André CoelhoAscom Ajufe
Desembargadores Federais Messod Azulay Neto E Paulo Sérgio Domingues Fotos Rosinei CoutinhoAscom CJF André CoelhoAscom Ajufe
Desembargadores Federais Messod Azulay Neto E Paulo Sérgio Domingues Fotos Rosinei CoutinhoAscom CJF André CoelhoAscom Ajufe

BRASIL

Saiba quem são os dois indicados por Jair Bolsonaro para o STJ

Messod Azulay Neto e Paulo Sérgio Domingues passarão agora por avaliação do Senado Federal

Messod Azulay Neto e Paulo Sérgio Domingues passarão agora por avaliação do Senado Federal

Indicados pelo presidente Jair (PL) nesta segunda-feira (1°) para os dois postos vagos no Superior Tribunal de (STJ), os desembargadores federais Messod Azulay Neto e Paulo Sérgio Domingues passarão agora pela avaliação do Senado Federal, onde serão sabatinados e depois votados pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e submetidos ao crivo do Plenário.

De acordo com a Constituição Federal, um terço dos ministros do STJ deve ser escolhido entre desembargadores federais, um terço entre desembargadores dos Tribunais de Justiça estaduais e um terço entre advogados e membros do Ministério Público. No caso dos dois atuais indicados, ambos são desembargadores em tribunais regionais federais.

SOBRE MESSOD AZULAY NETO

Propaganda. Role para continuar lendo.

Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Messod Azulay Neto é o atual presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2). Antes de chegar ao TRF-2, em 2005, o desembargador federal foi advogado concursado da Telecomunicações do Rio de Janeiro (Telerj).

Na Corte, ele atuou por 14 anos na seção especializada em direito penal e previdenciário. Azulay Neto também ocupou diversas funções na Justiça Federal, como diretor-geral do Centro Cultural da Justiça Federal do Rio e coordenador dos juizados especiais federais. Ele também integrou o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE/RJ), como suplente, no biênio 2017/2019;

Azulay Neto também já foi professor universitário e é membro titular do Instituto Ibero-Americano de Direito Público. Entre 2019 e 2021, ele ocupou o cargo de vice-presidente da Corte e, em dezembro de 2020, foi escolhido como presidente do TRF-2 para o biênio 2021/2023.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Foi o desembargador que, em junho deste ano, derrubou a decisão liminar que impedia a Polícia Rodoviária Federal (PRF) de atuar em operações de segurança fora das estradas. Na ocasião, uma decisão da Justiça Federal do Rio, tomada após a operação que resultou em 23 mortes na Vila Cruzeiro, havia determinado a suspensão de participação da PRF em ações nas comunidades.

SOBRE PAULO SÉRGIO DOMINGUES

O outro escolhido por Bolsonaro, o desembargador Paulo Sérgio Domingues, é integrante do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) desde 2014. O magistrado é graduado em Direito pela Universidade de e mestre pela Johann Wolfgang Goethe Universität, da Alemanha.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Juiz federal entre 1995 e 2014, Domingues ocupou o cargo de procurador do Município de São Paulo antes de ingressar na magistratura. No TRF-3, ele foi coordenador do Gabinete de Conciliação (2020-2022) e presidente da Comissão de Informática (2016-2022).

O magistrado foi também, entre 2005 e 2007, diretor do Foro da Seção Judiciária do Estado de São Paulo e, entre 2002 e 2004, presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe). Atualmente ele também é professor de Direito Processual Civil da Faculdade de Direito de Sorocaba e autor de capítulos em livros e de artigos em periódicos especializados.

Atualmente, Domingues também é vice-diretor da de Magistrados da Justiça Federal da 3ª Região e integra o Comitê Gestor de Proteção de Dados Pessoais. O magistrado ainda é membro do grupo de trabalho do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que analisa propostas sobre o procedimento para as ações judiciais de benefícios previdenciários por incapacidade.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Veja também

1 Comment

1 Comment

  1. Clenio

    01/08/2022 em 6:21 pm

    Terão que dialogar a dois. Finalmente, o Presidente faz justiça na justiça, obedecendo uma hierarquia de promoção por meritocracia (um Tenente nunca chega a General, se não passar por Coronel). Todos os Ministros tem de ser “JUÍZES”, e estar ocupando a carreira de “DESEMBARGADOR” e com experiência, para não ter que convocar Juízes Federais, para os auxiliar em matérias que não tenham conhecimento ou capacidade, porque foram só advogados (Sergio Moro).
    Como podem julgar? Assim surgem, como disse marco aurelio ” Inquéritos do fim Mundo”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

BRASIL

Ex-presidente foi convidado para uma entrevista no podcast

BRASIL

Cassação ou não do vereador será definida pelo plenário da Câmara na próxima terça

BRASIL

Empresário convidou seus seguidores a assinarem o manifesto do presidente

Anúncios