Siga-nos em

Buscas no site

Vacinadas Com Duas Doses, Cinco Freiras Do Mesmo Convento Morrem Por Covid Em Menos De Uma Semana
Vacinadas Com Duas Doses, Cinco Freiras Do Mesmo Convento Morrem Por Covid Em Menos De Uma Semana
Foto/Reprodução

BRASIL

Vacinadas com duas doses, cinco freiras do mesmo convento morrem por Covid em menos de uma semana

Das 51 irmãs que fazem parte do convento, 29 foram diagnosticadas com o novo coronavírus

Das 51 irmãs que fazem parte do convento, 29 foram diagnosticadas com o novo coronavírus

Em menos de uma semana, cinco freiras da Congregação das Irmãs Franciscanas da Sagrada Família de Maria, no Centro de Curitiba, morreram em decorrência da Covid-19.

“Muito grande o baque porque, às vezes, acontecia morte, mas de condições naturais, né? E, de repente, em sequência assim, foi muito difícil para nós. Uma tragédia que deixa a gente muito triste, mas confiamos que Deus vai estar nos amparando nesse momento de dor”, afirmou a madre Maria Madalena Ryndack, responsável pelo convento.

A madre conta que desde o início da pandemia, nenhuma irmã havia testado positivo para a doença. Contudo, no fim do mês de agosto, uma das freiras começou a apresentar sintomas que acreditava ser apenas de gripe.

Das 51 irmãs que fazem parte do convento, 29 foram diagnosticadas com o novo coronavírus.

Propaganda. Role para continuar lendo.

“Não nos atentamos que era o vírus. Tudo isso disseminou muito rápido aqui. Como é uma casa de idosas, atingiu algumas irmãs mais frágeis na saúde, com comorbidades, e algumas vieram a óbito. Hoje, nós estamos passando pela quarentena, concluindo essa fase, a maioria das irmãs está recuperada. Temos duas irmãs na enfermaria e uma na UTI, mas temos esperança que elas vão vencer”, comentou.

A madre contou que elas sempre seguiram as medidas sanitárias de combate à Covid e que apenas algumas das irmãs mais jovens saem para resolver algumas coisas.

Todas as freiras que morreram estavam com a imunização completa. Especialistas apontam que nenhuma vacina oferece proteção de 100% contra doenças, mas todas reduzem o risco de infecção, hospitalização e morte, principalmente depois da segunda dose.

É importante lembrar que vacinas funcionam, mas não são infalíveis. Ainda assim, apesar de a probabilidade de infecção após a vacina ser pequena, quanto mais a doença estiver circulando, maior é o risco de o imunizante falhar.

Propaganda. Role para continuar lendo.

“As irmãs que saem e voltam mantêm todos os cuidados necessários. O álcool gel está presente em todos os nossos ambientes. Mas, o vírus se espalhou tão rapidamente que acabou atingindo várias pessoas. Eu acredito que a vacina que tomamos [contra a Covid] tenha ajudado a evitar mais complicações e mortes”, disse.

“Infelizmente não deu tempo de me despedir das irmãs. Nós temos o serviço de enfermagem na casa, porque nossas casas são equipadas para o atendimento ao idoso. Então as irmãs estão sempre acompanhando, cuidando e vendo a situação da saúde, mas infelizmente aconteceu de chegar aqui esse vírus”.


Fiocruz quer construir local para guardar documentos sigilosos sobre vacina

Anvisa proíbe uso de doses da vacina CoronaVac envasadas em fábrica que não passou por inspeção

Flórida cria multa para quem exigir comprovante de vacina

Reforço para maiores de 80 anos deve utilizar outras vacinas, e não a CoronaVac, diz especialista


Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

BRASIL

"Falei do avanço da vacinação e o controle da pandemia no Brasil", contou o ministro da Saúde

MUNDO

Nos bastidores, a Fifa tenta um acordo para não correr o risco de nenhum atleta acabar fora do torneio

MUNDO

Será exigida imunização completa, além de teste negativo para Covid

MUNDO

O Estado da Cidade do Vaticano anunciou segunda-feira que, a partir de 1º de outubro, ninguém poderá entrar em seu território sem apresentar o...

Anúncios