O Ex Comandante Da Marinha Almirante Almir Garnier Santos O Ex Comandante Da Marinha Almirante Almir Garnier Santos

Ex-comandante da Marinha Alega Motivação Política em Ação da PF e Pede Orações

Ex-comandante da Marinha, Almir Garnier Santos, é alvo da Operação Tempus Veritatis

O ex-comandante da Marinha almirante Almir Garnier Santos, um dos alvos da Operação Tempus Veritatis, se manifestou há pouco sobre a ação da PF por meio de uma lista de transmissão de WhatsApp.

O almirante Almir Garnier Santos, ex-comandante da Marinha e um dos alvos da Operação Tempus Veritatis, expressou seus pensamentos recentemente sobre a ação da PF através de uma lista de transmissão de WhatsApp.

Seu telefone foi confiscado aproximadamente às 6h15. O Almirante Garnier Santos solicitou à sua esposa, Selma Foligne Crespio de Pinho, que transmitisse a declaração do militar com seus colegas das na manhã de quinta-feira. Selma e o militar tiveram uma conversa telefônica logo após a emissão do mandado de busca e apreensão da PF contra ele.

Na mensagem, o almirante Garnier pede “orações” e sugere que a ação da PF tenha caráter político.

No comunicado, o almirante Garnier solicita “orações” e insinua que a atuação da PF possa ter uma natureza política.

“Prezados amigos, participo que face a situação política de nosso país, fui acordado em minha casa hoje, as 6h15m da manhã, pela Polícia Federal. Estando acompanhado apenas do Espírito Santo, em virtude de viagem da minha esposa. Levaram meu telefone e papéis de projetos que venho buscando atuar na iniciativa privada”, disse o militar.

“Peço a todos que orem pelo Brasil e por mim. Continuamos juntos na fé, buscando sempre fazer o que é certo, em nome de Jesus”, acrescentou.

O general Augusto Heleno – ex-GSI, e o general Valter Braga Netto também foram alvos, além dele. A operação está sendo acompanhada pelo Exército e a Marinha, que foram acionados pela PF.

De acordo com a PF, essa operação também visa investigar se esse grupo se beneficiou politicamente mantendo o então presidente da República Jair no poder.

De acordo com a Polícia Federal, estão sendo executados 33 mandados de busca e apreensão, além de quatro mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares distintas da prisão. Essas medidas incluem a proibição de contato com outros investigados, a restrição de deixar o país, a obrigação de entregar os passaportes dentro de 24 horas e a suspensão do exercício de funções públicas. Com informações de O Antagonista.


Veja também

  1. Isso tudo vai dar m*e*a. Eles estão ultrapassando todos os limites. Já passou da hora de um levante popular. E aí sangue vai correr. Porque não existe nenhuma prova realmente substancial de que algo estava em andamento. Provavelmente alguns apoiadores, inclusive eu, esperávamos alguma atitude. Porque por um bandido condenado, na presidência da república, foi um escárnio com o povo brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *